A televisão segundo Joãosinho Trinta

 

 

 

Um Ponto de Luz na Imensidão — Televisão — Caixa Mágica

Joãosinho Trinta (1992)

Cintilantes pontos de luzes irradiam-se pelo espaço. Uma caixa mágica transforma esta energia luminosa em imagens. É a televisão. No princípio, em preto e branco, agora colorida. Magia de sons, formas e cores. Fascinante invenção que pode apressar a evolução do homem. O apertar de um botão traz, para cada pessoa, a visão do mundo e da vida. Quantos encantos e transformações a televisão pode oferecer.

Aquele ponto de luz traz do infinito a grandeza e os mistérios da criação. Dos quatro cantos da Terra, ela aproxima os homens, mostrando verdades, conhecimentos, fatos, alegrias, tristezas, descobertas, culturas e todos os acontecimentos. Do céu, da terra e do mar aquele pontinho de luz nos dá imagens de beleza e emoção. Dança, canto, literatura, pintura, escultura, todas as artes saem daquela caixinha mágica. Repleta de surpresas, ela mostra tudo. Esporte, política, ciência, pesquisas, trabalhos, debates, curiosidades, campanhas, etc. Na velocidade da luz, a televisão está presente no momento exato do acontecimento. Através de informações e imagens, ela propicia correntes de solidariedade humana. Facilita a propagação de novas ideias, transformando as condições de vida na face da Terra. Hoje, a televisão é a companheira de todos. Crianças, jovens e adultos. Ela é fascinante. Noticiários, novelas, shows, filmes, entrevistas, etc. É a invenção que, atingindo a sua máxima evolução, será o veículo transformador, facilitando o entendimento entre os homens de boa vontade. A televisão pode iluminar o planeta Terra na sua trajetória entre as estrelas. No futuro, ela só transmitirá imagens de sabedoria, beleza e alegria, transformando o homem num ser cósmico. E esperamos que os portais do Terceiro Milênio sejam abertos por esta criatura iluminada por Um Ponto de Luz na Imensidão, ampliado na Caixinha Mágica chamada Televisão.

Retirado do encarte do LP "Sambas de Enredo", do Grupo Especial do Rio de Janeiro no carnaval de 1992.